Opinião: o ensino técnico é importante para o Brasil?

  • 3 de agosto de 2018

Texto enviado por um usuário do site www.brasilescola.com

Normalmente as discussões acerca dessa modalidade de ensino eram deixadas para debate depois de esgotados os assuntos referentes à educação; porém, o ensino técnico continua em pauta e deve permanecer no centro das discussões sobre as mudanças educacionais, que derrubam a barreira entre o “instruir” e o “educar”. Quase todos os ideais que sustentam as reformas educacionais brasileiras destacam a importância do ensino técnico, que não pode ser encarado como um programa de caridade do governo destinado aos jovens cidadãos em desvantagem social – como erroneamente pensam alguns educadores –; muito menos ser visto como uma jogada para diminuir a disputa pelo ensino superior – como acreditam, também erroneamente, outros estudiosos. O ensino técnico tem que existir e ser valorizado, com acesso e qualidade, porque necessitamos de técnicos com alto padrão de excelência em todas as esferas da sociedade; deve ser expandido e atualizado constantemente, porque nossa mão de obra precisa de qualificação e enfrenta grandes problemas para se adaptar às mudanças nas formas e relações de trabalho.

Devemos lembrar que tornar os trabalhadores habilitados para o mercado de trabalho não é responsabilidade das empresas. Entretanto, elas podem: prover treinamento para que seus funcionários se adaptem às inovações; fazer com que eles entendam que é preciso aprender e aprimorar; ensiná-los a pensar como sujeitos ativos sobre o que e como exercem a função que, direta ou indiretamente, afetará a sociedade na qual estão inseridos; orientá-los para que não se tornem seres robóticos ou meros reprodutores de uma missão empresarial, mas possuidores de habilidades e conhecimentos.

Essas responsabilidades também cabem às instituições de ensino, principalmente do setor público afinadas com o mercado de trabalho, sem jamais se esquecerem de manter a autonomia como formadores de cidadãos e trabalhadores.

O Brasil precisa que seus filhos tenham melhor escolaridade, uma profissão que os afastem da criminalidade, de maneira a aumentar a autoestima e contribuir para o desenvolvimento social, econômico e sustentável. Respondendo a pergunta que abre esse artigo: sem nenhuma dúvida, o ensino técnico é a mola mestra para um país que busca mais trabalho, crescimento e justiça social.

Fonte: SINTEC-SP em Revista

 

 

 

 

 

 

Últimas notícias

Fiscalização do CRT-BA assegura segurança em eventos na cidade de Dias D’ávila

O Conselho Regional dos Técnicos Industriais da Bahia (CRT-BA) realizou uma série de fiscalizações no município de Dias D’Ávila, na região metropolitana de Salvador. Com…
Ler mais...

CFT defende competência sobre registro profissional em Meteorologia

Assunto pautou audiência da diretoria executiva do Conselho Federal dos Técnicos Industriais (CFT) na administração central da NAV Brasil, empresa pública que presta serviços de…
Ler mais...

CRT-BA e CREA-BA realizam vistoria conjunta dos trios elétricos do carnaval de Salvador

O Presidente do Conselho Regional dos Técnicos Industriais da Bahia (CRT-BA), Sandro Augusto Vieira, esteve nesta quarta-feira (7) acompanhando a vistoria dos trios elétricos na…
Ler mais...

Opinião: o ensino técnico é importante para o Brasil?

  • 3 de agosto de 2018

Texto enviado por um usuário do site www.brasilescola.com

Normalmente as discussões acerca dessa modalidade de ensino eram deixadas para debate depois de esgotados os assuntos referentes à educação; porém, o ensino técnico continua em pauta e deve permanecer no centro das discussões sobre as mudanças educacionais, que derrubam a barreira entre o “instruir” e o “educar”. Quase todos os ideais que sustentam as reformas educacionais brasileiras destacam a importância do ensino técnico, que não pode ser encarado como um programa de caridade do governo destinado aos jovens cidadãos em desvantagem social – como erroneamente pensam alguns educadores –; muito menos ser visto como uma jogada para diminuir a disputa pelo ensino superior – como acreditam, também erroneamente, outros estudiosos. O ensino técnico tem que existir e ser valorizado, com acesso e qualidade, porque necessitamos de técnicos com alto padrão de excelência em todas as esferas da sociedade; deve ser expandido e atualizado constantemente, porque nossa mão de obra precisa de qualificação e enfrenta grandes problemas para se adaptar às mudanças nas formas e relações de trabalho.

Devemos lembrar que tornar os trabalhadores habilitados para o mercado de trabalho não é responsabilidade das empresas. Entretanto, elas podem: prover treinamento para que seus funcionários se adaptem às inovações; fazer com que eles entendam que é preciso aprender e aprimorar; ensiná-los a pensar como sujeitos ativos sobre o que e como exercem a função que, direta ou indiretamente, afetará a sociedade na qual estão inseridos; orientá-los para que não se tornem seres robóticos ou meros reprodutores de uma missão empresarial, mas possuidores de habilidades e conhecimentos.

Essas responsabilidades também cabem às instituições de ensino, principalmente do setor público afinadas com o mercado de trabalho, sem jamais se esquecerem de manter a autonomia como formadores de cidadãos e trabalhadores.

O Brasil precisa que seus filhos tenham melhor escolaridade, uma profissão que os afastem da criminalidade, de maneira a aumentar a autoestima e contribuir para o desenvolvimento social, econômico e sustentável. Respondendo a pergunta que abre esse artigo: sem nenhuma dúvida, o ensino técnico é a mola mestra para um país que busca mais trabalho, crescimento e justiça social.

Fonte: SINTEC-SP em Revista

 

 

 

 

 

 

Últimas notícias

Fiscalização do CRT-BA assegura segurança em eventos na cidade de Dias D’ávila

O Conselho Regional dos Técnicos Industriais da Bahia (CRT-BA) realizou uma série de fiscalizações no município de Dias D’Ávila, na região metropolitana de Salvador. Com…
Ler mais...

CFT defende competência sobre registro profissional em Meteorologia

Assunto pautou audiência da diretoria executiva do Conselho Federal dos Técnicos Industriais (CFT) na administração central da NAV Brasil, empresa pública que presta serviços de…
Ler mais...

CRT-BA e CREA-BA realizam vistoria conjunta dos trios elétricos do carnaval de Salvador

O Presidente do Conselho Regional dos Técnicos Industriais da Bahia (CRT-BA), Sandro Augusto Vieira, esteve nesta quarta-feira (7) acompanhando a vistoria dos trios elétricos na…
Ler mais...